Fabrício Maurício | Atrevendo-me a Poetizar
22
archive,category,category-atrevendo-me-a-poetizar,category-22,ajax_updown_fade,page_not_loaded,

Atrevendo-me a Poetizar

Alma de Poeta

Posted by Fabricio Mauricio in Atrevendo-me a Poetizar, Saiu na Mídia

Na última quinta-feira (04/04/2013) saiu outra poesia de minha autoria no Jornal Imparcial em Presidente Prudente-SP.  http://www.imparcial.com.br/site/ Esta poesia já foi publicada em outra ocasião recente em um Magazine de Portugal! Sinta a “Alma de Poeta”! Alma de Poeta não tem cor! Alma de Poeta…

A Covarde Coragem de Existir

Posted by Fabricio Mauricio in Atrevendo-me a Poetizar

Morro de novo todos os dias. Quase diariamente ressuscito. Tem horas que acordo morto. Tem horas que ressuscito quando durmo. Quando sonho. Às vezes ressuscito e acordo. Logo passa e morro de novo. Vez em quando me venço. Vez ou outra me perco. E morro….

Natureza Selvagem

Posted by Fabricio Mauricio in Atrevendo-me a Poetizar

Àquele Magazine de Portugal, publicou este mês de junho duas poesias que fiz há algum tempo. Natureza Selvagem, e Boneca de Ferro Carrinho de Porcelana. Uma das primeiras coisas que escrevi. Tentem entender… Boneca de Ferro Carrinho de Porcelana Quem foi que disse que Deus escreve…

Mãe o Amianto do Amor!

Posted by Fabricio Mauricio in Atrevendo-me a Poetizar

Mãe…Três letras que dão vida ao mundo. Mundo que fica órfão sem seu Amor. É uma entrega tão forte que sinceramente não compreendo a necessidade de se dedicar um dia à Ela, como se todos os outros não fossem… Mas enfim, convenções existem e Eu…

Poesia Publicada em Portugal

Posted by Fabricio Mauricio in Atrevendo-me a Poetizar, Saiu na Mídia

Aos Amigos que tanto incentivam esta minha grande Paixão,Tenho buscado de várias maneiras, mostrar ao mundo minhas obras. Recentemente ocorreu um episódio fantástico. Cá estava Eu na madrugada “psicografando” tantos pensamentos que tanto gritam em minha alma, quando recebo um e-mail de um grupo de…

Voracidade

Posted by Fabricio Mauricio in Atrevendo-me a Poetizar

Quanto vale a sua liberdade?Prefere viver plenamenteou de ti sentir piedade? Onde está  a sua serenidade?Prostrado num sofá de domingo?Não te sufocas tanta normalidade? Como é ambíguo o peso da morosidadePara alguns tudo menos a novidadeOutros só vêem a verdade na totalidade Sentir a vida…