Fabrício Maurício | A Gênese de tudo – Primeira proposta de Sinopse – Livro: “O Ateu que foi pro Céu”
3969
single,single-post,postid-3969,single-format-standard,ajax_updown_fade,page_not_loaded,

A Gênese de tudo – Primeira proposta de Sinopse – Livro: “O Ateu que foi pro Céu”

A Gênese de tudo – Primeira proposta de Sinopse – Livro: “O Ateu que foi pro Céu”

Por Fabricio Mauricio em Versículos de Malaquias o Ateu 01 out 2015

Pergaminho MetalA Gênese de tudo

Cansados da exaustão de seus dias e de tantas guerras, gauleses, aquitanos, piratas cartagineses, nórdicos e vikings começaram a desejar a “morte morrida”… Certo dia, Malaquias ao tentar explanar sua versão de Britânia, argumentando que supostamente, lá haviam pessoas comuns que morriam sem ser de guerra, é mal interpretado e uma confusão sem precedentes estoura na Taberna de Judas.
Bilicão agora com uma perna e mão a menos, junto a Malaquias saem da Taberna em desabalada carreira em busca deste tal lugar, lugar esse em que tudo será possível. Mas, até chegar lá, o leitor será lançado em um mundo estranho, com personagens que vivem muitos anos e aprendem a viver sob as situações mais adversas.
337 AC, um tempo onde Deuses aos montes definiam as formas de comportar da humanidade. Ou seria a humanidade a definir os comportamentos e quereres dos Deuses?
O mundo todo era a atual região de Languedoque. Segundo manuscritos encontrados, naqueles tempos era o que se pensavam de mundo. Estava tudo ali em Galia Narbonense.
E foi exatamente neste tempo e lugar que surgiram as primeiras estórias da lenda de Malaquias. Um ateu convicto, que durante muito tempo parece ter sido esquecido pelas normas regentes do universo… Viveu quase 800 anos pregando paradoxalmente o Amor incondicional e a não existência dos Deuses e quando desencarnou, na realidade não descarnou… Foi transladado direto para o Céu, com carne, osso, unhas, vísceras e tudo…
Que tal voltar à esse passado mágico e tão real e presente? E conhecer um pouco da vida do Malaquias o Andarilho Beduíno que vivia numa época remota, tinha um camelo de estimação e um amigo General que era só uma Cabeça que ele carregava em uma bolsa canguru que ele improvisou com sua túnica…
O mundo de Malaquias. Mundo bizarro, inacreditável nos tempos de hoje, onde todas as leis e mandamentos do universo são trocados por uma só prática: o Amor…

  • Marcos Alves Borba 2 de outubro de 2015 at 13:05 / Responder

    Meu querido e grande Amigo, saldemos as nossas vã filosofias e acreditemos em nossas inquietas percepções de instintos de macho.Grande parte de nossas intuições, e com muita modéstia, irá nos guiar aos mais altos destinos que a vida possa nos proporcionar. Vendo tudo isso, e mais, sabedores que somos, mesmo sem essa de mundo inquieto, as suas nobres escritas irá nos engrandecer e deixar de forma muito simples, que tudo é possível. Fico grato pelo seu enorme desempenho, e tenha a certeza que merecimento é causa justa de um grande trabalho. Sempre plausível, e engrandecedor fica á história, a verdadeira sinopse de que suas inquietações desse seu mundo ateu irá somar e muito as nossas vocações. Sempre grato, meu amigo. Um forte abraço. Marcão.

    • Fabricio Mauricio 2 de outubro de 2015 at 14:45 / Responder

      Grande Marcão! Você sempre presente. Impossível esquecê-lo apesar do tempo e distância. Você é onipresente! Obrigado por sua presença e continência de sempre meu amigo. Sou grato por suas palavras e especialmente pelo reconhecimento. Forte abraço. Te vejo no lançamento!

Publique seu comentário