Fabrício Maurício | Stephen Hawking
3896
single,single-post,postid-3896,single-format-standard,ajax_updown_fade,page_not_loaded,

Stephen Hawking

Stephen Hawking

Stephen Hawking

Por Fabricio Mauricio em Textos e Crônicas 30 abr 2015

Stephen Hawking – Um sujeito que apesar de seu brilhantismo mundial nunca me chamou a atenção até conhece-lo um pouco além do Cientista no filme “A Teoria de Tudo”.

Tenho vivido um momento muito especial de mudanças…Completando 40 anos em poucos dias, me peguei em uma reflexão profunda nos últimos meses acerca da razão de minha existência e mais que isso, qual a minha missão nessa passagem pela Terra. Já escrevi muito sobre isso, e sempre aprendo um pouco mais quando escrevo. E algo que tem me aprisionado muito é o fortíssimo apego pelos HÁBITOS e pelas COISAS que não servem mais, a clássica soberania do intolerante EGO perante a paciente CONSCIÊNCIA.

Com Hawking, explodi mais uma pequena bolha de consciência acerca do assunto. Este inglês, Ateu de 73 anos, recebeu aos 21 a notícia de que viveria só mais dois anos no máximo em decorrência de uma esclerose amiotrófica que é uma doença do neurônio motor, que de forma devastadora vai limitando os movimentos musculares até que cessem todos… O que teria movido ou sustentado sua vida há meio século além do tempo previsto?

FÉ. Tão paradoxal, como belo, a FÉ na VIDA fez deste ateu um dos indivíduos mais importantes na ciência e história moderna.

E é exatamente neste momento, ao descobrir sua sentença de morte em meio à crise de não saber que tema escolher para defesa de sua Teoria no Doutorado e sua paixão devastadora por aquela que viria a ser sua primeira esposa, que ele descobre que só tem mais dois anos de TEMPO de VIDA… Stephen fica perplexo e chora como qualquer ser humano normal… Lamenta profundamente não poder mais executar ações tão simples, como servir uma taça de vinho ou comer uma colher de ervilhas… Seu luto não é normal. Ele não tem tempo… logo ele descobre seu tema de Doutorado: o TEMPO. E passa a viver por ele.

No começo defendeu os limites do universo. Como tudo começou e vai acabar. Ficou mundialmente famoso e depois contestou-se. Vendo em si próprio, uma alma, que orbita muito além dos perímetros de seu corpo, percebeu que estava errado, e com toda subserviência defendeu teoria contrária. Afinal, onde já se viu Universo, ou Vida com Bordas?

Seu corpo se desfaz rapidamente, como se derretesse. Com ele todas as suas defesas de caráter e de personalidade já constituídas se rescindem também… Resta-lhe então a ESSÊNCIA.

E nesse encontro com o verdadeiro SER, que hora habitou aquele corpo, e ficou aprisionado pelo EGO em algum de seus cantos hoje inertes, ele descobre o que realmente importa…

Um Esquizoide magnífico que embora tivesse todos os requisitos necessários para desenvolver uma Biopatia grave ou uma Psicose que o desligasse completamente desse mundo, escolheu tratar suas neuroses e da melhor maneira possível… Descobrindo como deve operar esse mundo…

Stephen Hawking, não só nos ensinou sobre o TEMPO, mas especialmente sobre a nossa responsabilidade em transformar nosso TEMPO de existência, que pode ser entendido como VIDA, na melhor e mais significativa passagem possível…
Se algum dia o homem conseguir descobrir a verdadeira razão de sua existência aqui na Terra, então ele terá descoberto os pensamentos de DEUS…

Stephen Hawking, por Fabrício Maurício
www.fabriciomauricio.com.br

Publique seu comentário