Fabrício Maurício | Diários de Uma Bicicleta IV – Porque Trabalhamos
2976
single,single-post,postid-2976,single-format-standard,ajax_updown_fade,page_not_loaded,

Diários de Uma Bicicleta IV – Porque Trabalhamos

Diários de Uma Bicicleta IV – Porque Trabalhamos

Por Fabricio Mauricio em Recursos Humanos - Coach de Carreira, Trilhas diárias de uma Bicicleta 03 mai 2012

Delicioso hábito. Como de costume, acordei nem tão animado. Foi só me equipar, e me perceber em cima de minha bike na estrada e tudo mudou. Tomado de uma satisfação e motivação tremenda, para novas trilhas lá fui Eu.

Saí cedo no sábado e antes de chegar à zona rural onde é o meu lugar de pedalar, cruzei muita gente saindo para o trabalho. Percebi que neste dia as pessoas estavam muito mais animadas que às segundas-feiras. Afinal era sábado, só iam trabalhar até o meio dia como é habitual e depois poderiam curtir a mínima fração da semana que sobrou para não fazer nada, o final da semana…

Certo dia participando de uma dinâmica de grupo em um treinamento, a instrutora pediu que escrevêssemos os dias da semana, ilustrando cada dia com a cor que aquele dia representa para cada um. Quase a totalidade dos presentes ilustrou a segunda-feira com a cor cinza ou preta! Este é o significado que a maioria atribui a este dia. Sabem por quê? É o início de um novo ciclo, nova semana, serão mais cinco ou seis enfadonhos dias pela frente até chegarmos ao tão esperado final de semana. Sem nos dar conta disto, caímos na armadilha do tempo torcendo para que este passe e não percebemos que com isto o que está passando por nós é a nossa vida!

Quando me dei conta, imerso nestes pensamentos, lá estava Eu já no mato. Pela trilha pude ver cavalos puxando carroças (fazendo o seu trabalho), cachorros vigiando propriedades (também cumprindo sua tarefa), João de Barro construindo suas moradas (como são fantásticos estes pedreiros da natureza), e as formigas, ah, as formigas, sempre trabalhando! Mesmo as plantas estão sempre imbuídas de sua missão na Terra. Estes seres reconhecidos como irracionais e inanimados, não pensam nos dias de trabalho, não esperam pelos finais de semana. Simplesmente se permitem viver suas vidas. Não há conflitos, não há angústias, nem ansiedades. Não esperam por outras coisas senão a oportunidade de viver cada instante. Tudo é muito mais simples do que desenhamos.

Então pensei: Por que trabalhamos? Quem conseguiu responder esta questão foram estes seres irracionais… Trabalhamos porque temos uma missão na Terra. Temos um propósito de vida. Mais que a busca por um salário no final do mês, ou por sobrevivência, trabalhamos para nos sentirmos úteis em alguma coisa para alguém. A felicidade não está nas recompensas materiais que recebemos (sabemos de sua importância na vida prática), mas no reconhecimento de que fazemos a diferença para alguém ou alguma coisa (Pense nisto!). Se suas segundas-feiras são cinza ou pretas, vasculhe, investigue com profundidade e vai encontrar o significado de sua existência neste mundo. Quando encontrar, saberá qual a sua Missão! Só encontrando este sentido, poderemos colorir cada dia com a cor que ele merece. Do contrário nos embrenharemos em nossas rotinas, e ficaremos assim; pálidos por cinco ou cinco dias e meio em sete, corados um dia, e meio dia acinzentando nas monótonas tardes de domingo, lamentando a segunda-feira que já vai chegar…

Quando menos esperarmos, não desejaremos mais que o tempo passe e desfrutaremos cada instante de nossa história (seja Ele de descanso, lazer ou labor), em harmonia com o Universo e tudo que nos cerca, sem pressa, sem dor, mas a vontade em nossas peles… Quando chegar este dia, o trabalho mudará de nome e passará a se chamar Prazer.
  • Renato Maurício 3 de maio de 2012 at 11:22 / Responder

    Bita,
    Cada dia melhor que o anterior:
    “Simplesmente se permitem viver suas vidas. Não há conflitos, não há angústias, nem ansiedades. Não esperam por outras coisas senão a oportunidade de viver cada instante. Tudo é muito mais simples do que desenhamos”.
    Meu pequeno grande poeta.
    Beijos,
    Renato

  • fabricioliver 5 de maio de 2012 at 01:17 / Responder

    Meu Grande Pai! Estou aprendendo muito com os Bichos também… Beijos

  • Ademir 26 de fevereiro de 2015 at 21:31 / Responder

    A vida é assim de fácil, mas vamos aprendendo ao longo da vida, muitas vezes por ensinamentos e conselhos equivocados, muitas vezes por tentativas e erros, enfim, vamos sendo moldados como se fôssemos argilas, enfim, hoje somos o resultado de tudo o que vivenciamos. Assim formamos nossos valores, nosso caráter, nossa ética…dizemos, às vezes que somos “sistemáticos” , sem saber até o que realmente significa isso. Às vezes ouvimos que “meditação é inútil”., mas não ligamos e continuamos meditando…meditando…cada vez mais até chegar à conclusão por experiência própria de que meditação é inútil. É assim, aprendemos assim…fazer o quê! Muitas vezes pensamos e queremos mudar, mas queremos mudar apenas aquilo que nós incomoda, porque qualquer mudança é desestabilizadora e nos tira de uma zona de conforto e aí…sentimos medo do que poderá advir….e quase sempre recuamos e continuamos na mesmice. Até quando?

Publique seu comentário