Fabrício Maurício | BIG BANG
2987
single,single-post,postid-2987,single-format-standard,ajax_updown_fade,page_not_loaded,

BIG BANG

BIG BANG

Por Fabricio Mauricio em Textos e Crônicas 16 mar 2012

Até mesmo o Mundo em toda sua infinitude precisou do Big Bang para evoluir!

O que te faz acreditar, dentro de sua condição de finitude humana,  que é possível qualquer processo de mudança ou evolução sem uma verdadeira revolução interna?

Se pretende verdadeiramente mudar, aceite os terremotos, as explosões e tornados como parte insolúvel do processo. E mais que isto conviva e aprenda com estas catátrofes naturais!

Do contrário, é só mais do mesmo… Não é Transformação!

  • Carlos de Sá 16 de março de 2012 at 05:49 / Responder

    Quero dizer que estou adorando as postagens… Originais, profundamente explícitas; subjetividade objetiva, algo raro e louvável. Aproveito para indicar o meu e que possa divulgar para os seus… Abraços. http://carlosdelaet.blogspot.com/2009_12_05_archive.html está no seu face também.

    • fabricioliver 31 de março de 2012 at 17:59 / Responder

      Carlão Meu Irmão. Sempre apoiando, sempre ouvindo, sempre atento. És um Grande Amigo Cara!!!! Obrigado por tudo que sabemos que contribui comigo

  • Quênia 31 de março de 2012 at 01:33 / Responder

    Fabrício,

    Você esta pronto.
    Tudo que escreve estou adorando e viciando…
    Desde que recebi seu e-mail, não parei de ler.

    Muito legal!

    Sei da dificuldade de publicar um livro, mas lute, nos dê este presente por favor!
    Esse seu jeito claro, sensível, simples e profundo de expressar é maravilhoso. Envolve o leitor e ensina muito.
    Estou adorando…tanto que fico lendo em voz alta para todos aqui de casa.

    • fabricioliver 31 de março de 2012 at 17:58 / Responder

      Quenia, apesar de pouco expressarmos quero dizer que sempre vi em Você uma Linda Amiga… O cuidado, carinho e detalhes como expressa ter percebido em meus textos, seu interesse, me faz acreditar muito em mim. A proposta que se alinha com minha missão é atingir muita gente. Mas sei que os menos sensíveis terão mais dificuldades… Você sente. Sente lendo o que sinto quando escrevo, e fecha! Me convence de que estou no caminho. Obrigado por isto. Beijo, Fabrício

Publique seu comentário